Pesquisar neste blog

segunda-feira, 25 de junho de 2012

28 Mar de Rosas



Dizem que a vida não é um mar de rosas
Pois bem
Discordo
Ela o é, de fato
Por baixo da beleza superficial, há espinhos
Perfume exalado coexistindo com garras

Às vezes nos cortamos
Em outras, pairamos
Leves sobre o oceano de vermelho
Cor esta a do sangue também
Fincamos raízes, nos apegamos
Precisamos de água e de ar

Rosas também morrem
Umas envelhecem e murcham
Outras são ceifadas ainda jovens
Esbanjando saúde rubra
Assim é a vida
E também o fim dela

Porém permanecemos
Em essência
Assim como as rosas
Igualmente como elas permanecem
Entre as páginas de um livro
Livro este da vida...

Angelus.

28 comentários:

  1. Oi Angelus
    Que lindo seu poema, concordo com vc, vendo por este prisma, a vida é um mar de rosas mesmo (kkkkk). Amei! Vc é um grande poeta.
    Bjos. e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Luciana,

      Não tem jeito a não ser navegar nesse mar, hehe. Mas pelo menos é muito bonito na maioria das vezes.

      Excluir
  2. Boa noite, Angelus.
    A vida é aquilo que fazemos dela, nem mais, nem menos, se algumas pessoas preferem descartar as rosas e permanecerem apenas com os espinhos, pior para elas.
    Você tem apenas 21 anos, pela maturidade dos teus escritos, achei que tivesse mais idade.
    Abraço, Angelus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jacques, boa noite.
      É preciso saber alternar entre as rosas e os espinhos. Desviar destes, visando chegar àqueles.

      Parecer ter mais idade nesse aspecto é muito bom, hehe. Já cheguei a achar que era adolescente demais, rs. Fico feliz que você pense o contrário.
      Abração!

      Excluir
  3. Que lindo tudo por aqui, principalmente essa corujinha linda e meiga do banner *parei. Enfim, adorei a comparação das rosas com a vida (certo?). Como a as rosas, nós murchamos e morremos também. Mas deixamos nossa marca no mundo, a rosa marca um significado na vida das pessoas por onde ela passa, seja uma alegria, um data especial ou etc. Nós também temos essa capacidade. Adorei! Arrasou! Meus parabéns. Beijão, www.spiderwebs.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está certíssima, Sabrina!
      E você falou em outro ponto bem verdadeiro. Temos a capacidade de presentear alguém com nossa marca, ou com o significado que temos.
      Melhor do que isso, só sendo presenteado pela presença de outra pessoa em nossas vidas.

      Já que você gostou da corujinha, venha vê-la sempre que quiser, rs.
      Beijo!

      Excluir
  4. Esse poema me faz pensar em tanta coisa, desde a célebre frase de Che Guevara que diz que temos que endurecer mas sem perder a ternura até o aspecto que mais me chamou a atenção no filme ``Branca de neve o caçador`` que tanta gente critica ainda, infelizmente. Bom, sobre o filme, a relação que posso fazer é a de que a beleza da branca de neve não está no superficial (a imagem) e sim no interior, seu coração. Acho que esse é o verdadeiro perfume que todas as rosas exalam, a bondade, a generosidade e tantos outros sentimentos bons cultivados nesse orgão pulsante que já sofreu com tantos espinhos de outrem nessa vida. Parabéns, meu amigo, mandou muito bem como sempre, grande abraço. Fique com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, amigo. Apesar de todos os espinhos, a rosa continua sendo bela.
      Essa frase do Che se encaixa perfeitamente, pois os espinhos fazem com que amadureçamos e acabamos usando-os para a nossa própria defesa daí em diante. Independente disso, a beleza não se perde.
      Continuar exalando perfume depois de tanto se arranhar é um exemplo que devemos trazer para nossas vidas.

      Abraço, amigo. Como sempre, dando um show nos comentários. Fica com Deus e boa semana.

      Excluir
  5. Olá Angelus, gostei da forma com que você inverteu o significado da expressão, atribuindo à ela um significado condizente com a realidade da vida, que às vezes parece ter mais espinhos que pétalas e perfume...

    http://sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2012/06/o-quarto-do-panico.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, J. Bruno.
      Tem vezes que é bem duta essa vida, mas o perfume está, só esperando o momento certo de ser apreciado.

      Obrigado pela visita e tenha uma boa semana pela frente.

      Excluir
  6. Olá Angelus,

    Também sempre achei que a vida é um mar de rosas. Pois dela temos a beleza de suas pétalas, mas também a dor dos seus espinhos. Ou seja, a dualidade que sempre está presente na vida de todos nós!


    Abraços Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É essa dualidade que dá graça à coisa, Flavio, hehe.
      Imagina viver num mundo só de pétalas... íamos acabar nos sufocando no próprio perfume.
      Do mesmo jeito, não é possivel viver só de espinhos.

      Abraços, amigo. Até a próxima.

      Excluir
  7. Oi Angelus,

    Eu li o seu post onde fala da sua nova fase e já tinha gostado muito, não comentei por não saber o quê comentar, já que eu não te acompanhava. No entanto, você conquistou um espaço na minha lista de blogs com esse poema. Principalmente pela forma como transformou a expressão em algo realmente bonito. Passarei aqui mais vezes.

    Beijos,
    http://www.ideias-defenestradas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi L.

      É um prazer entrar para a sua lista.
      Seja bem vinda ao VPC e fique a vontade para comentar.
      Até a próxima.
      Beijos.

      Excluir
  8. Olá!Boa noite!...tudo bem?
    ... viver a dualidade da vida, com sabores e dissabores, não é apenas um caminho para o equilíbrio da vida, e sim, o caminho para uma vida longa, que valha a pena.
    No dia a dia a coisa é mais complicada. A vida não é exatamente um mar e as rosas não são tão vistosas, nem coloridas. É difícil circular por aí sem ser ferido.
    E o mar é muito grande, imponente e bravo, às vezes, até hostil.
    Por isso,aquela velha frase: a vida não é um mar de rosas... seja ,em parte,verdadeira...
    Obrigado pela visita!
    Boa quarta feira!
    Abraços
    ah..sim...vi seu post chamada...estamos juntos....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Felisberto,
      Entendo seu ponto de vista. É que esse "mar" às vezes toma formas diversas, como você disse. Ele pode ser hostil e sem vida realmente, bem diferente da visão tradicional desser "mar" que vem na nossa mente.

      PS: aguardo sua postagem na blogagem coletiva. Abraço e boa sexta.

      Excluir
  9. Cara você profanou a rosa o consagrou a vida.
    Muito legal seu poema! =]
    Abrç
    End Fernandes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado End
      A vida merece ser consagrada sempre

      Abraço!

      Excluir
  10. Olá Angelus!!
    Sim,a vida é o que plantamos!!Se plantamos coisas boas, colheremos
    coisas boas e assim por diante,...
    Venho trazer meu carinho á você!!
    Beijos no core!!
    Soninha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Soninha! Obrigado pelo carinho!
      Recebemos de volta aquilo que oferecemos às pessoas. Tem meu carinho também.
      Beijo!

      Excluir
  11. Disse tudo nesse poema....a vida é um mar de rosas mesmo.
    Aliás vi em sua postagem anterior que vc participará da Blogagem Coletiva...eu também irei participar! Assim, estou te seguindo (pois gostei do teu blog também) e gostaria de trocar idéias contigo.
    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tsu,
      bem vinda oficialmente ao VPC, rs

      Já estou me planejando para a blogagem coletiva, parece que muita gente boa vai participar. Te aguardo por lá.
      Tenha uma boa sexta. Beijo.

      Excluir
  12. Angelus, tudo bem?
    Belo poema e muito inteligente!

    Estabelecer uma analogia das rosas com a vida: a beleza das pétalas, e ao mesmo tempo os espinhos. A própria dicotomia diária, grande desafio que é viver.
    Parabéns!
    Beijos e ótimo fim de semana!

    Estou adorando ver teu rosto! Agora sei com quem falo haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cissa, tudo bom sim.
      Ver o rosto da pessoa com quem falamos deixa a gente mais confortável mesmo, hehe.

      Bom fim de semana pra você também. Beijo!

      Excluir
  13. taí... ótima analogia... somos sim mto semelhantes ãs rosas. Sensiveis, precismaos de cuidados... Muito bem pensado!
    lindo o poeminha!
    bjo
    opinandoemtudo.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Moça.
      Se quisermos ser resistentes e vibrantes precismos mesmo de cuidado.

      Boa semana para você. Beijo.

      Excluir
  14. É isso! A vida não é só perfume, só beleza, só graça, amor, enfeite. A vida tem mesmo espinhos. A minha tem. A de todos tem. Tem altos, baixos. Arranha. Machuca. E passa. Que bom que passa! Uffa!
    Que saibamos aproveitar então, as horas de 'lados bons', as horas de rosa essência, pros espinhos não nos sufocarem!

    Cheguei em tempo? rs.

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  15. Claro que chegou em tempo, querida! rs

    Ainda bem que essas feridas saram.
    Esses espinhos só servem para nos deixar mais forte e passam a ser nossa defesa para futuros ataques.

    Vamos aproveitar a cada dia essa essência doce que temos.

    Beijos, meu anjo.

    ResponderExcluir

Seja muito bem vindo! Sua opinião pessoal sobre o post é muito importante.