Pesquisar neste blog

sexta-feira, 27 de julho de 2012

24 Doce Vingança



Um Coração ocioso
Ansioso por sentir
Resolveu estragar tudo
Apaixonou-se pela melhor amiga

Mas não precisava abrir-se
Todo ele já era o próprio sentimento
Necessitava apenas fazer-se notado
Então se expôs

O amor, porém, revelou-se unilateral
Nuances da vida
Por ele nunca compreendidas
Entretanto perseverou

Vermelho ardente
Dividindo espaço com o verde esperançoso
Contudo a vilã denominada Indiferença
Nas entrelinhas da amizade escondia-se

Fria
Distante
Inabalável
Por fim feriu o pobre Coração insistente

Uma incerteza instaurou-se
O vermelho amoroso
Com a ira rubra misturou-se
Algo havia mudado

Vingarei-me de ti
Fazendo-te a mais feliz deste mundo
Estarei lá quando precisares de mim
Segurarei tua mão nas horas de dor

Teu coração caprichoso
Enfim me desejará
E eu me darei a ti
Carregando a semente por tuas mãos plantada

Então verás
Amo-te
Porém não como queres
Não como precisas”
 
O sentimento não morrera
Modificara-se
Contentou-se com o que tinha
E conquistou outro alguém

A correspondência revelou-se tardia
As peças do jogo invertidas
O Tempo zombeteiro brincou
Vingou-se

Nuances da vida...


Angelus.




24 comentários:

  1. Olá,Angelus!!
    Poema lindo,amigo!!
    Abençoado final de semana.
    Bjs no core.Soninha.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Soninha.
    Pra você também.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Pois assim é a vida Angelus. Como dizem por aí " a fila anda". Eu diria que a vida tem seu curso e o tempo nao espera, mesmo que você pare ele continua a correr, e bobo é quem fica no caminho, pois ela passa por cima.
    Nem chega a ser uma vingança, mas faz um bem enorme saber que já nao sofre por quem nos despreza e saber que a pessoa passa por esse mesmo sofrimento: "Aquele que com o desprezo fere, com desprezo será ferido."
    Beijokas doces

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Marly. É uma ironia do destino. Pode parecer meio cruel, mas dá uma sensação de alma lavada na pessoa que virou o jogo. Afinal, não dá mesmo pra parar no tempo. A vida segue.

      Excluir
  4. Angelus,
    Poema muito bonito!
    Já ouvi dizer que o amor e o ódio são o mesmo sentimento, mas com motivações diferentes. Se for mesmo assim, muito dessa vida é mesmo apenas uma questão de nuance.
    Beijos e um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Isa. Esses sentimentos se confundem mesmo. Ambos são intensos. Quanto a serem a mesma coisa, eu não arrisco afirmar, mas tem horas que eles se alternam.

      Obrigado pela presença. Bom fim de semana. Beijo.

      Excluir
  5. O amor tem os seus dilemas a vingança ainda faz parte do homem, Angelus linda poesia maravilhosa, obrigado pela visita bom final de semana beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O amor tem seus dilemas e caprichos, Lucimar. É imprevisível.
      Eu é que te agradeço por vir aqui.
      Beijos.

      Excluir
  6. Olá!Bom dia!
    Tudo bem, Angelus?
    ah... amar uma amiga, no tempo errado...e depois ser amado por esta, em outros tempos...nuances da vida!
    "Crio uma ilusão... me imagino sem precisão. Avanço as etapas com a ansiedade de reconhecer o final. Pena que alguém só se dá conta no outro suspiro. Passamos a vida toda tentando encontra-la e quando desistimos, este alguém sente uma enorme vontade de continuar nela, sem nenhuma razão, mas só pelo coração. A vida zombeteira, com nuances e escolhas, é assim que quero vive-la, do meu jeito, no meu tempo... ela é minha...A vida!
    Obrigado pela visita!
    Bom final de semana!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felisberto, você ja disse tudo!
      Às vezes, nos precipitamos no sentimento. "Avançamos o sinal", como alguns dizem, e impedimos das coisas acontecerem naturalmente para ambas as partes.
      E quando partimos pra outra, parece que o passado volta para nos buscar novamente.

      Bom fim de semana pra você também. Abração.

      Excluir
  7. Eu já passei por esta situação, mas no papel inverso, eu era o amigo e eu não tinha como corresponder um sentimento que me foi declarado e eu não sentia. Ao contrário do final de seu poema, sem maldades, para mim foi um alívio quando eu descobri que a pessoa havia trilhado outro caminho. Não é fácil também para quem está do lado inerte, sem sentimentos e, sendo amigo, não querendo magoar, mas também não podendo se obrigar a sentir o que não sente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem como é isso...
      Infelizmente já passei pelos dois casos. E o pior de tudo é que foi ao mesmo tempo. Não era correspondido de um lado e não correspondia do outro. Fiquei me pondo no lugar de quem não me correspondia e conseguia imaginar como ela devia estar se sentindo. Foi nessa hora que segui em frente.

      Abraço.

      Excluir
  8. Pois é, muitas vezes a vida funciona assim... aquele ditadozinho antigo: "Quem eu quero não me quer, quem me quer não me comove".
    A gente não deve se sentir obrigado a gostar de alguém, mas deve ser sincero e não ferir; por outro lado, não dá para obrigar alguém a corresponder a nosso sentimento.. o jeito é deixar a vida passar, no fim das contas.
    A roda do tempo gira, a vida passa e as coisas se ajeitam como tem de ser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Marina.
      O melhor a fazer nessa situação é ser sincero, não iludir a outra pessoa com falsas esperanças. O tempo toma conta do resto.
      Tenha uma boa semana pela frente. Beijo.

      Excluir
  9. OLá Angelus, boa noite!

    Seus versos falam de uma cena da vida, da incansável busca pela preservação afetiva. É o eterno triângulo amoroso, que até hoje na vida, não entendi porque ocorre. Nas histórias clássicas dos amores, percebemos essas nuances, como você tão bem colocou. Penso que onde houver dois seres com sentimentos transversais, um terceiro personagem aparecerá pra dar a reviravolta nesse triângulo desconexo...E, claro que os poetas sabem disso, e produzem da melhor poesia, que são desse tipo de desencontro...

    Adorei a sua presença e comentários lá no SEMENTES... Volta mais vezes, volta?

    Bjos da Lu...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu.
      Difícil não achar alguém que já tenha feito parte de um triângulo desses. É uma lição que a vida ensina às pessoas. Na hora, é uma coisa bem doída, mas serve para que amadureçamos no futuro.

      Eu te agradeço a vida aqui no VPC e com certeza voltarei ao Sementes Preciosas.
      Boa semana pra você. Beijos.

      Excluir
  10. Pois é, como diria Cazuza o tempo não pará. A vida segue seu rumo e tudo acontece no tempo acerto, pois do mesmo que o mundo está sempre girando no seu próprio ritmo nada está parado, tudo tem algum movimento em alguma direção. Tudo sempre se acerta e o que tiver de ser, será assim como a correspondência de sentimentos que em algumas vezes acontece de ser unilateral e em outras de ser exata, em sintonia de corações ocasionado assim uma união. Gostei dos momentos do seu poema porque ele mostra justamente isso, com o mundo dá voltas e também como existem certas ironias na vida tal qual se percebe nos últimos versos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, amigo. Essa por vezes chega a ser uma ironia cruel se a gente parar pra pensar nela antes que aconteça. Mas as coisas vão se encaixando e ajustando. É um tipo de preparatório para momentos de felicidade maior, onde daremos muito mais valor do que se tivesse sido fácil desde o início. Uma sintonia de corações não tem preço que pague. Taí um sentimento indescritível.

      Abraços, amigo. Boa semana.

      Excluir
  11. Poxa! Muito profundo.
    Seu texto ficou lindo.
    Lembro de mim mesma, do sofrimento causado pelo simples fato de querer quem não me queria. Sofri a ilusão de um falso amor.
    Mas... Em meio a estes desgastes, conheci quem me quis mesmo sem que eu o quisesse, e foi quando me dei uma chance. Hoje já são 9 anos ao lado este alguém que me faz sentir tão especial. *_*
    Há coisas que só se curam com o tempo, e há pessoas que só resolvem valorizar o que já perderam.

    Beijo
    Cléo - Conheça o blog Vejo Por Aí...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cléo.
      Pois é, a vida nos dá uma segunda chance sempre. Cabe a nos aceitá-la ou não. Às vezes, quando damos uma chance a alguém, na verdade estamos dando uma chance a nós mesmo de sermos felizes. Que bom que deu tudo certo pra você.
      E o que você disse está certo: o tempo cura tudo mesmo e infelizmente algumas pessoas dão valor às coisas quando já é tarde.

      Beijo e boa semana.

      Excluir
  12. Oi Angelus
    Muito lindo seu poema. Adorei! As vezes não precisa terminar tão ruim, no meu caso está indo muito bem obrigada, eu casei com meu melhor amigo kkkkk. E não precisa falar mais nada, vc viu pelo meu último post somos uma família feliz. É uma loteria esse jogo do amor.
    Bjão. Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  13. Verdade Luciana, você deu muita sorte.
    A pessoa certa no fim das contas é mesmo a melhor amiga, mas já ser antes mesmo da relação começar é tirar a sorte grande.

    Fica com Deus. Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde, Angelus.
    A vida e o coração seguem seus próprios ritmos, e não podemos querer mandar em nenhum deles, tudo o que podemos fazer é aceitar aquilo que não podemos mudar e aprender com isso.
    E nunca passar a temer o amor pelo fato dele não ser correspondido.
    Abraço, Angelus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Jacques, esse é um aprendizado doloroso no início, mas é uma grande lição. Um amor real, quando é pra acontecer realmente, será correspondido. Não é preciso temer.

      Abraço e boa sexta.

      Excluir

Seja muito bem vindo! Sua opinião pessoal sobre o post é muito importante.